Login

Contato

Por favor digite seu nome
Por favor insira seu email. Email inválido.
Por favor escreva sua mensagem
Busca - Categorias
Pesquisar - Contatos
Pesquisar - Conteúdo
Busca - Fonte de Notícias
Pesquisa - Marcadores

Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 
O carão Aramus guarauna, é uma ave da família Aramidae. É também conhecido por saracurão, ocorre desde o Sul dos Estados Unidos até á Argentina.
  • Nome popular: Carão
  • Nome inglês: Limpkin
  • Nome científico: Aramus guarauna
  • Família: Aramidae
  • Habitat: Ocorre em todo o Brasil e também do sul dos Estados Unidos, México toda a América Central e América do Sul até á Argentina.
  • Alimentação: Alimenta-se basicamente dos caramujos aruás, comendo ainda caramujos terrestres e pequenos lagartos. Captura os aruás na vegetação densa ou mesmo no fundo de lagos rasos, sem mergulhar, entrando na água somente até a altura da barriga.
  • Reprodução: Constrói o ninho grande, em forma de um cesto profundo, depositado sobre a vegetação alta dentro de brejos. Põe de 3 a 6 ovos de cor creme com manchas marrons.
  • Estado de conservação: Pouco preocupante
Foto – Afonso de Bragança
Carão
Foto – Afonso de Bragança
Carão

Características:

O carão mede cerca de 70 cm, possuindo o corpo pardo-escuro com garganta branca, bico com mandíbula amarela, cabeça e pescoço estriados de branco e pernas negras.
Possui quatro subespécies:
  • Aramus guarauna guarauna (Linnaeus, 1766) - ocorre na América do Sul, (exceto na costa árida a Oeste da Codilheira dos Andes e no extremo sul do continente);
  • Aramus guarauna elucus (J. L. Peters, 1925) - ocorre nas ilhas de Hispaniola e Porto Rico;
  • Aramus guarauna dolosus (J. L. Peters, 1925) - ocorre no Sudoeste do México até o Panamá;
  • Aramus guarauna pictus (F. A. A. Meyer, 1794) - ocorre na Flórida, Cuba e Jamaica.

Comentários:

Costuma frequentar pântanos e campos alagados, margens de rios com vegetação baixa e manguezais. Geralmente vive solitário, ou eventualmente em grupos maiores, em poças de lama. Durante o período reprodutivo vive aos casais. É principalmente noturno, embora também ativo durante o dia. Quando não está se alimentando pode ser observado pousado em arbustos baixos.
Foto – Flávio Pereira
Carão
Foto – Edgard Thomas
Carão
Referências Bibliográficas: FRISCH, Johan Dalgas; FRISCH, Chistian Dalgas. Aves Brasileiras e Plantas que as Atraem 3ª edição. Ed. Dalgas Ecoltec - Ecologia Técnica Ltda. │SICK, H. Ornitologia Brasileira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira. 1997 │ Wikipédia
Topo