Login

Contato

Por favor digite seu nome
Por favor insira seu email. Email inválido.
Por favor escreva sua mensagem
Busca - Categorias
Pesquisar - Contatos
Pesquisar - Conteúdo
Busca - Fonte de Notícias
Pesquisa - Marcadores

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 
O aracuã-do-pantanal é uma ave da família Cracidae. Ocorre no Brasil, Paraguai, na Bolívia e na Argentina.
  • Nome popular: Aracuã-do-pantanal
  • Nome inglês: Chaco Chachalaca
  • Nome científico: Ortalis canicollis
  • Família: Cracidae
  • Habitat: No Brasil está presente em toda a planície do pantanal. Ocorre também no Paraguai, na Bolívia e na Argentina.
  • Alimentação: Alimentam-se basicamente de folhas, frutos, sementes, flores e lagartas. Atuam como grandes dispersoras de sementes.
  • Reprodução: Constrói o ninho com galhos, cipós e folhas, em formato de plataforma e material pouco organizado. Ficam em árvores ou arbustos com folhagem densa, de 2,5 a 4 metros de altura, onde são postos 4 ovos alaranjados ou de cor creme escuro, chocados durante 28 dias. Um ou dois dias após nascerem, os filhotes emplumados já voam, acompanhando os pais ou grupo pelas árvores. Para dormir, ficam empoleirados ao lado de um adulto, o qual os protege com as asas entreabertas.
  • Estado de conservação: Pouco preocupante
Foto – Afonso de Bragança
Aracuã-do-pantanal
Foto – Afonso de Bragança
Aracuã-do-pantanal

Características:

Mede em média 55 cm de comprimento, sendo a maior espécie do gênero Ortalis. Tem testa anegrada, cabeça e nuca cinzas. Pele do olho vermelha. A característica mais marcante na plumagem é a cauda, longa, onde se destacam as penas laterais marrons avermelhadas, contrastando com o cinza escuro das demais. Em voo ou pousados, deixam a cauda entreaberta, tornando visível essa característica. Pelo formato das asas, relativamente pequenas e redondas, precisam batê-las intensamente para cruzar áreas abertas. Apesar disso, atravessam os rios pantaneiros sem problemas. Seu som é dominante nas manhãs e tardes do Pantanal.

Comentários:

Frequenta matas ciliares, mata de galeria, palmares, capoeiras, matas secundárias, carandazais, bacurizais, veredas, ambientes alagadiços, cerradão e matas secas. No pantanal só não vive em campos e cerrados sem capões de matas.
Foto – Afonso de Bragança
Aracuã-do-pantanal
Foto – Afonso de Bragança
Aracuã-do-pantanal
Referências Bibliográficas: FRISCH, Johan Dalgas; FRISCH, Chistian Dalgas. Aves Brasileiras e Plantas que as Atraem 3ª edição. Ed. Dalgas Ecoltec - Ecologia Técnica Ltda. │SICK, H. Ornitologia Brasileira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira. 1997 │ Terra da Gente
Topo